Um Olhar do Paraíso + A Procura / Review e curiosidades

Um Olhar do Paraíso

Nota: 10/10 

Ontem eu acabei de rever Um Olhar do Paraíso (2009) e novamente o filme me encantou! Vi muitas críticas a respeito dele enquanto pesquisava informações para esse post mas para mim o filme é nota 10. Espero te ajudar a descobrir se você também vai gostar dele e para quem já viu fica com a gente mais um pouco que vão ter curiosidades sobre a obra. Também vou falar um pouquinho do filme À Procura (2014), que assisti recentemente e tem uma temática parecida. Já adianto que ambos estão disponíveis no Netflix.

Vamos começar com uma pequena sinopse. Em Um Olhar do Paraíso acompanhamos a personagem Susie Salmon, uma garota de 14 anos que foi assassinada. Presa em uma dimensão entre o céu e a terra ela observa como sua família lida com seu desaparecimento. O pai inicia uma busca por respostas e culpados enquanto sua mãe tenta uma fuga da realidade. Mesmo após a morte, o forte elo entre Susie e seu pai lhes permitem uma certa interação em alguns momentos, interação que também ocorre com uma garota sensitiva da cidade. Desde o início, conhecemos a face do assassino de Susie e torcemos para que algo aponte a polícia em sua direção. E é nesse clima de fantasia e descobertas que a trama se desenvolve. É importante ressaltar que o filme não é religioso. A própria autora disse que ele trata sobre fé, esperança e que ela não tem a intenção de definir o que acontece após a morte.

Deu pra perceber que o filme tem uma temática forte, não é mesmo? Mas ele não tem um enfoque na violência, temos na verdade um filme muito emocionante, que mistura a realidade com o sobrenatural, dando leveza a obra. O grande destaque para mim é a personagem Susie e a atuação da artista Saoirse Ronan. Saoirse fez um trabalho incrível que nos cativa e emociona. Ela ganhou o papel após mandar apenas uma fita para a produção! Encantados com sua atuação a equipe a contratou de imediato, sem a necessidade de realizar outros testes. A jovem atriz irlandesa já ganhou diversos prêmios, sendo o mais recente por seu papel em Lady Bird. Outros filmes que gostei em que ela foi protagonista são Hanna e A Hospedeira.

Os pais de Susie são outro elemento chave do filme, Rachel Weisz e Mark Wahlberg entregaram uma ótima atuação e trabalharam bem em conjunto. O curioso é que dessa vez os artistas não foram a primeira escolha dos produtores. Para o papel da mãe de Susie, Abigail, foi considerada Helen Hunt.

Montagem do ©Xeretando.

Para Jack Salmon, teríamos Hugh Jackman, mas sua agenda não colaborou e ele desistiu, passando a bola para Ryan Gosling. Ryan por sua vez decidiu engordar cerca de 10kg para representar melhor o papel, mas o diretor Peter Jackson não concordou com a transformação e nosso galã gordinho foi dispensado 🤣 Finalmente, um dia antes do início das gravações entra em cena Mark Wahlberg.

Montagem do ©Xeretando.

Outro destaque é o responsável pelo fim de Susie, seu vizinho George Harvey. Pode até não parecer mas o solitário Harvey foi interpretado por Stanley Tucci. O ator passou por uma grande transformação para criar o personagem: clareou a pele, tingiu pelos do braço e peito, usou uma peruca, um dente falso, apliques para bigode e costeletas, lentes de contato azul e roupa com enchimento! Tudo isso teria sido um pedido do próprio ator para que sua imagem não ficasse associada a um serial killer. Tucci credita a profundidade de sua atuação a John Douglas, fundador e chefe aposentado da Unidade de Apoio de Investigação do FBI e um dos pioneiros do Criminal Profiling (ou Psicologia Investigativa). Douglas foi o modelo para o agente Jack Crawford de Silêncio dos Inocentes, bacana não? Para o filme Um Olhar do Paraíso Douglas dedicou dois dias ao preparo de Tucci. “O objetivo é ser mau, mas humano” disse o ator.

Montagem do ©Xeretando.

Por fim, outro nome de destaque no filme é Susan Sarandon, que interpretou a avó Lynn. Mesmo sem muitas habilidades domésticas e possuindo seus próprios vícios, Lynn tomará as rédeas da casa e será um pilar importante para a família nesse momento.

A conclusão do filme é bacana, apesar de eu querer que um dos acontecimentos finais fosse um pouco diferente. No entanto, acho que a intenção do autor foi justamente nos enganar e no fim percebemos que o que ocorreu pode ter sido o melhor para a família. Para quem já viu o filme vou ser mais explícita (selecione o texto daqui pra baixo para revelar o trecho com SPOLIER)

O que me deixou um pouco inconformada foi o descarte do cofre no sumidouro. A cena pareceu durar séculos e eu fiquei na certeza de que o corpo de Susie seria descoberto. O cofre se abriria ou Susie iria avisar Ruth para impedi-lo, mas nada disso aconteceu. Depois eu reconsiderei, pois Susie teria voltado para viver um momento feliz com Ray, e não para se apegar à tragédia. Da mesma forma talvez encontrar o corpo da filha fosse uma dor pela qual os pais não precisassem passar, ainda mais em um momento em que eles finalmente estavam seguindo em frente.

O livro

Nos créditos descobri que o filme é inspirado na obra de Alice Sebold, “Uma Vida Interrompida – Memórias de um Anjo”. O filme apesar de preservar a essência da história fez algumas modificações. Nas telas não vemos o envolvimento que ocorre entre Abigail e o detetive que investiga o desaparecimento de sua filha. A morte de Susie também não foi mostrada nos detalhes que são apresentados no livro. O livro foi o mais vendido nos EUA no ano de seu lançamento, 2002, superando nomes como Tom Clancy, Nicholas Sparks e Stephen King. Claro que o livro já foi pra minha lista de desejos! Ele está disponível na Amazon na versão impressa ou digital, tanto em inglês como em português.

 

À Procura

Nota: 5/10 

Antes que esse post fique quilométrico vamos ao filme À Procura.

Sinopse: Durante uma parada na estrada para fazer compras, Cass é raptada do carro de seu pai. A família passa seis anos sem nenhuma notícia, até que uma pista surge em um site de pornografia ao mesmo tempo em que a garota entra em contato com seu pai.

À procura infelizmente não encontrou o equilíbrio certo entre os elementos do filme. A trama até tem alguns pontos interessantes mas apresenta muitas falhas e a tensão e ação passaram longe. Para mim, o maior problema foi a falta de complexidade da personagem principal. Ao contrário de Susie, Cass não conseguiu passar muita emoção. A personagem pareceu conformada em seu cativeiro, onde é bem tratada e ajuda seus sequestradores a raptarem mais crianças entrando em contato com elas pela internet. Mas se essa era intenção, mostrar que os anos a transformaram mais em uma aliada que prisioneira, o roteiro e/ou a atuação não deixaram isso claro. Os momentos de frustação da menina também deixam a desejar. Como o filme não apresenta nenhum elemento de fantasia ou sobrenatural eu esperava que ele entregasse cenas de ação e tensão, mas ele todo é levado em banho maria e chegamos ao final sem nenhum clímax.

Em relação aos pais da jovem, foi feito um bom trabalho. Gostei da atuação de Ryan Reynolds e principalmente de Mireille Enos. Outro nome de peso foi Rosario Dawson, que fez bem seu papel ao lado do policial interpretado por Scott Speedman, que eu já achei um pouco forçado. Por fim, o vilão Mika, interpretado por Kevin Durand não convenceu muito, o personagem ficou muito caricato. Além disso quase não se explicou nada sobre a quadrilha da qual Mika fazia parte e como realmente eles atuavam.

Em entrevista para o BlogTo Atom Egoyan, diretor e também um dos escritores do filme, é questionado sobre a recorrência do tema de abuso ou assassinato de crianças em seus filmes. O diretor promete que esse será o último filme com esses temas, que certas coisas que ocorreram em seu passado o fizeram obsessivo com esse tópico, mas ele sente que é hora de seguir em frente. Quem sabe em outros temas ele não acerta a mão não é mesmo?

Enfim, não é um filme terrível, mas tendo em vista a grande quantidade de opções disponíveis eu não recomendo a menos que você goste muito de algum desses artistas ou do diretor e queira acompanhar todo seu trabalho.

Montagem do ©Xeretando.

Você já assistiu esses filmes? Teve uma opinião diferente ou concorda comigo? Lembrou de algum outro semelhante? Conta aí nos comentários!

Fonte

Algumas informações foram retiradas das seguintes matérias:

5 questions for Atom Egoyan about the captive

♦ Ryan Gosling admits he was fired from The Lovely Bones for being too fat

♦ ‘Lovely Bones:’ Serial Killers Elude As Ordinary Neighbors

♦ Corujão: veja algumas curiosidades do filme ‘Um Olhar do Paraíso’

 

 

 

Compartilhe / Share
Google+WhatsAppFacebook

4 thoughts on “Um Olhar do Paraíso + A Procura / Review e curiosidades

  1. Thamiris

    Hey Pri! Tudo bem?
    Eu tinha começado a assistir esse Um Olhar no Paraíso, mas achei o clima um pouco pesado não sei porque e acabei parando de assistir pela metade. Já o outro filme eu não conhecia.
    Obrigada pela visitinha lá no blog.
    Volte sempre!

    ~ miiistoquente

    Reply
    1. Pri Post author

      Entendi, mas acho que vale a pena você ver o final, é bacana. De nada, fiquei feliz que deu uma passadinha aqui também, beijos!

      Reply
  2. Alessandra Reis

    Um olhar do paraíso é um filme que amo!! Já assisti muitas vezes e cada vez que assisto me surpreendo com uma nova coisa. Acho todas as atuações excelentes! Ele é certamente um filme que aborda espiritualidade, e ilustra muito bem a máxima: aqui se faz, aqui se paga!! Gostei das tuas ponderações sobre o filme é as curiosidades também. Gratidão!!

    Reply
    1. Pri Post author

      Fico muito feliz Alessandra! Eu que agradeço sua participação e retorno sobre o post 😊

      Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *