Sobre Mangás e as Guerreiras Mágicas

Sejam bem vindos ao Blog! Vou inaugurar o site falando um pouco sobre o último livro que li, que na verdade é um mangá, Guerreiras Mágicas de Rayearth 1.


Pra quem acha que mangá é uma revistinha para crianças eu digo que está enganado! Esses quadrinhos japoneses agradam a públicos variados, existem histórias direcionadas para meninos, meninas e adultos. Dentro dessa segmentação ainda podemos encontrar diversos gêneros que vão da ficção ao romance. No Japão, praticamente todo mundo lê mangá. As histórias são publicadas por capítulos em almanaques que geralmente são de papel reciclável e são jogados fora após serem lidos (como assim? 😮 ). Só depois toda a história é republicada em um formato colecionável conhecido como tankobon, que é o formato em que vemos a maioria dos mangás por aqui. Falando nisso, o primeiro mangá publicado no Brasil tinha um formato ocidental de leitura, mas hoje encontramos tudo como no original, em que o livro (considerando nosso ponto de vista) é lido de trás para frente. Não se preocupe se você esquecer desse detalhe, antes de ler sem querer o fim da história provavelmente vai haver uma página te alertando que você está fazendo isso do jeito errado. Também haverá instruções da ordem da leitura dos quadros na página e das caixas de diálogo.

Voltando ao Guerreiras Mágicas, ele foi publicado em 1994 pela CLAMP, um grupo feminino de mangakás (termo que significa quadrinhista). Esse grupo é conhecido por seus traços ricos e rebuscados e possui outros mangás famosos como o Sakura Card Captors. Realmente eu achei a arte do mangá muito bonita, como vocês podem ver abaixo em uma pequena seleção que fiz. Também achei bem divertida a versão miniatura rechonchuda dos personagens que aparece em vários momentos. Os desenhos são bastante detalhados, o que em algumas vezes, chega até a ser confuso, pois os mangás são em preto e branco, e eu gastei alguns segundos para conseguir entender o quadro.

Quadrinhos mangá Guerreiras Mágicas

Imagens extraídas do meu mangá : )

Concordo com as opiniões que dizem que a arte da revista, ou mesmo da CLAMP, é voltada para o público feminino, mas que o enredo também agrada aos homens. Afinal a história não é romântica como a da Sailor Moon, um mangá muito popular no qual adolescentes se transformam em heroínas que representam a lua e os planetas. Na minha opinião, o Guerreiras Mágicas traz muito mais ação do que Sailor Moon, ou pelo menos as lutas e aventuras são mais elaboradas. Falando então um pouco sobre a história, ela gira em torno de três garotas de Tóquio, Hikaru, Umi e Fuu que são invocadas pela princesa Emeraude para se tornarem as lendárias guerreiras mágicas que salvarão seu mundo. Acompanhando as guerreiras está Mokona, uma criatura fofa que só fala “Puu”, mas tem várias habilidades mágicas. O enredo conta com bastante humor, batalhas que envolvem a inteligência para serem vencidas e armas que evoluem. Algumas dessas características parecem inspiradas em RPG e devem ser responsáveis pelo interesse masculino.

Mangá Guerreiras Mágicas

Capa do meu mangá : )

A série é composta por 6 volumes e além disso foi transportada para a TV, sendo inclusive exibida no SBT, e também para videogames.

Para quem se interessou recomendo a compra do mangá pelo site da Amazon. Também já vi alguns exemplares na loja física da Leitura, mas creio que achar todos e em perfeito estado seja mais difícil que em uma loja virtual. O preço tabelado do mangá é 16,90, porém, é possível encontrá-los em promoção.

Se alguém quiser conferir o anime, recomendo que assista legendado. Acredito que a dublagem tire grande parte da diversão que para mim é ouvir o japonês com suas entonações características e aprender um pouquinho do idioma.

E então, você já conhecia as Guerreiras Mágicas? Se interessou? Deixe seu comentário! Encerro hoje com minha fan art, PUU, PUU…

Hikaru e Mokona.

 

 

Compartilhe / Share
Google+WhatsAppFacebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *